Categorias
emocional ISSO É COISA DA MINHA CABEÇA? mudanças

coragem para seguir a pé noutras estradas

Existem lugares que não é pra gente. Existem amores que não é nosso. Existem caminhos que vão nos levar à lugar nenhum, e talvez a gente ainda esteja caminhando por eles. Essa vida é cheia de surpresas e um pouco mais difícil para alguns, marcada por constantes mudanças que exige coragem. Para entender, mesmo que pareça difícil. Para aceitar, mesmo que seja dolorido. E para mudar de estrada, mesmo que seja necessário descer no meio do caminho e seguir a pé. Atalho ou imbróglio o tempo vai dizer.

Encontrar nosso verdadeiro caminho pode custar tudo isso: dores, desapegos, isolamento, solidão e muitas outras coisas. Só não deveria custar tanto tempo. Porque o tempo é uma das coisas mais importantes da nossa trajetória, seja nos momentos de luta ou de vitória. Então não vamos mais perder tempo por medo ou apego em situações que nunca nos levaram pra frente. É hora de novas atitudes!

Categorias
EMOCIONAL RELATO

depressão, o luto da vida

A depressão é uma doença delicada e lidar com o problema pode ser muito difícil para quem enfrenta e um pouco complicado também para quem está por perto.

É que o depressivo é um “sentimental por natureza” e dependendo do estágio da doença e seu nível de carga emocional tudo o atinge com mais força e apela para o pejorativo, até porque talvez o sentimento mais predominante na maioria seja justamente a autossabotagem. É gerado uma visão distorcida de si mesmo, quase sempre inconsciente, de que nada dar certo ou que existe falta de sorte no trabalho, nos relacionamentos, na vida. Mas nem sempre conseguimos fazer um introspecção tão assertiva para enxergar essas e outras características ruins, embora direta ou indiretamente somos constantemente alertadas sobre determinadas atitudes e comportamentos pessoais, mas se não houver uma boa conversa ou um jeitinho de falar até isso é interpretado negativamente.

Categorias
emocional ISSO É COISA DA MINHA CABEÇA?

estresse pós-traumático e os gatilhos emocionais

“Distúrbio caracterizado pela dificuldade em se recuperar depois de vivenciar um acontecimento assustador”

Assim define-se rapidamente o Transtorno de Estresse Pós-traumático

O TEPT, como é conhecido, ocorre em pessoas que foram vítimas de forte violência, como assalto, sequestro ou estupro. O trauma é tão grande que elas ficam anos tendo pesadelos e convivendo com o medo. Muitos abandonam a vida social e passam a sofrer de ansiedade e depressão – ou cometem suicídio.

De fato, a situação vivenciada por mim foi extremamente violenta e aterrorizante. Por muito pouco quase tirou minha vida, deixando então marcas físicas e principalmente psicológicas, entre elas o TEPT.

Enquanto ainda estava internado, senti muito medo e desconfiança de todos, não me sentia seguro nem queria conversar com ninguém sobre o assunto, pois era como se todo mundo ali tivesse a intenção de me fazer mal. Após a alta, nem sonhava mais em ficar no mesmo lugar que vivia antes e tudo se modificou na minha vida. Mas, mesmo distante e com pouco contato com as pessoas, o medo irracional de algum evento parecido ocorrer novamente ainda é presente em quase todo o tempo. Ficar em casa ou sair na rua sozinho hoje me parece impossível, não me sinto mais seguro. Outro fator que vem acontecendo são os repetitivos pesadelos com a mesma situação ou eventos parecidos. A gente realmente fica preso naquela atmosfera ruim. Na verdade trata-se de um conjunto de gatilhos emocionais que nos faz retornar à situação ou revivê-la como flashback, por isso começamos a evitar situações e pessoas que tenham alguma relação com o ocorrido ou com os envolvidos por medo; o sentimento de culpa, vergonha, ansiedade faz parte do processo, assim como o estresse, variação de humor e até a perda de interesse em atividades antes prazerosa. Tenho todos esses sintomas.

Categorias
Hoje escrevo sobre... homofobia RELATO

O ódio quase me matou e querem saber “o que eu fiz” pra isso acontecer?

Em janeiro deste ano passei pela experiência mais traumática da minha vida. Fui vítima de um crime de ódio tão perverso que me deixou entre a vida e a morte. Não sei exatamente como tudo aconteceu, não lembro detalhes do ocorrido. O fato é que estava dormindo e acordei como se tivesse em um pesadelo: em minha frente uma pessoa com o rosto coberto me golpeava com uma faca a sangue frio. Enquanto o instinto de sobrevivência tentava a autodefesa, minha consciência ainda ia sendo retomada até entender que o pesadelo era real.

Estavam de fato tentando me matar dormindo.

Entrei num estado de choque tão grande que experimentei sensações que jamais imaginei sentir um dia: tive muito, muito medo e por uns minutos fiquei paralisado, tentando acreditar no que estava acontecendo e até achei que nem conseguiria sair dali; a sensação de traição foi marcante, seguido do sentimento de arrependimento de ter confiado nas pessoas. Foi tudo muito horrível e traumatizante.

Categorias
Hoje escrevo sobre... relacionamento

e o amor, ainda se vê por aí?

Talvez seja sobre amadurecimento.

Talvez seja sobre as decepções.

Talvez seja sobre o cansaço.

O fato é que o amor muda a nossa vida, mas seu conceito também pode mudar a depender das nossas experiências. É que quanto mais amamos mais nos colocamos vulneráveis – o que até então faz parte; mas isso acaba nos tornando presa fácil no mundo de hoje. E digo sobre todas as relações, inclusive as amizades e laços familiares.

A bíblia diz que precisamos amar uns aos outros, o que tá cada vez mais difícil. Diz também que no final dos tempos o amor de muitos se esfriara. Talvez seja sobre isso. Estamos no final dos tempos, só pode.

Categorias
Hoje escrevo sobre... relacionamento

cultura do cancelamento é a tendência da vez

É sobre aquele bom ditado contemporâneo: “seu maior fã é um desconhecido, enquanto seu maior hater é alguém que você conhece”. E isso é muito verdade!

Nunca tinha prestado muita atenção nisso até ser atingindo de alguma forma pelos estilhaços dessa nova “tendência social”. Mas hoje é sobre isso mesmo: estamos em um mundo de aparências, relações de conveniência e interesses pessoais acima de tudo. É preciso ter cuidado ao não atender as expectativas dos outros: estamos ameaçados a ser cancelados, porque vivemos agora cercados de (má)influencers da vida real e tal qual nas redes sociais, vale tudo pra sobressair e alcançar a “fama” – nem que seja pela falsa personalidade criada para conquistar.

Categorias
Hoje escrevo sobre... TESTEMUNHO ESPIRITUAL

internação: introspecção, reflexão e experiências para entender o propósito

Foram mais ou menos quinze dias de internação desde que dei entrada no hospital por conta de um grave “acidente”. Tive momentos de dores, estresse e muita tristeza. Quando estável, soube que tive lesões corporais por escaldadura, politraumatismos, corte de tendões do punho direito, e por último tive infecção de Covid. Havia passado por algumas cirurgias e sentia as dores e desconforto do pós-operatório.

Teste positivo de Covid – HGE

Nunca me imaginei em uma situação daquelas e tinha certeza que não merecia o que estava passando. Os traumas foram mais que os físicos, mas de alguma forma a fé me fez entender que aquilo fazia parte dos planos de Deus. Essa mesma fé continua sendo âncora de força para minha recuperação até aqui. Embora tenha apresentado sintomas leves da Covid (tinha tomado as duas doses da vacina) tive que cumprir isolamento em leito individual. Foi horrível ter ficado sozinho depois de tudo que aconteceu, pois além de fazer muito frio, existia todo aquele protocolo para alguém ter acesso à sala, mas todo esse processo serviram como pesadas experiências e me trouxeram momentos de introspecção importantes para repensar toda minha vida até ali; nas amizades, na confiança que dava às pessoas e na própria maneira como vinha conduzindo minha vida pessoal; pensava, sobretudo, na minha relação com Deus, pois todas aquelas noites tinha uma única certeza: Jesus me livrou do laço da morte!

Categorias
Hoje escrevo sobre... relacionamento

sobre ser forte mesmo quando a gente perde

Você é forte mesmo quando as coisas dão errado e a tristeza se torna o maior obstáculo. Você também é forte quando se pergunta porque, mesmo confiando tão pouco, as pessoas ainda conseguem brechas para se aproveitar de você. Você se pergunta porque ainda sente tanto, fica triste e chora se é sempre assim? Você quer desistir de acreditar nas pessoas e escolher a solidão. Mas cara, você é tão forte que se cura e permite que o amor entre mais uma vez no seu coração, mesmo sabendo que depois ele vai embora e te fazer lembrar mais uma vez o quanto dói. Na verdade você vai ficando mais resistente e dói cada vez menos.

Categorias
Hoje escrevo sobre... ISSO É COISA DA MINHA CABEÇA?

sobrevivente das minhas próprias guerras

JOSE ROBERTO RIOS – Libriano, soteropolitano, confuso, iludido, traído, sobrevivente das minhas próprias guerras? Coach de desentendimento pessoal, tentando se livrar do autodesenvolvimento depreciativo. Estudante do Marketing raiz (não apenas o digital). Aqui escrevo sobre o que se passa nessa mente distraída e me coloco a pensar se é real ou ISSO É Coisa da Minha Cabeça?!